Riscos de Operações
     

Dúvidas? Fale Conosco
Entre em contato com a nossa Central de Relacionamento e tire suas dúvidas.

Telefone:
0800 729 7272
E-mail:

relacionamento@socopa.com.br

 

Home > Central de Informações > BM&FBovespa > Riscos de Operações

No investimento em ações

  • Lembre-se dos riscos
    O investidor, principalmente se iniciante, deve ter sempre em mente que o mercado de ações é um mercado de risco, logo pode ganhar (aumentando seu patrimônio) ou perder (diminuindo seu patrimônio) a quantia que investir, total ou parcialmente.

  • Não há garantias
    O investidor deve também ter em mente que no mercado de ações, por se tratar de um mercado de risco, não há garantia de ganho prévio e muito menos fixo. Não acredite em quem lhe prometer um ganho prévio ou fixo e, por conseqüência, não faça investimento com base nesse tipo de promessa.

  • Não se considere profissional
    Não tente imitar aqueles investidores que são chamados de “profissionais de mercado”, tais como operadores, agentes autônomos e outros. Eles, mais do que ninguém, conhecem os riscos envolvidos e sabem como agir. Certamente, eles não precisam ler essas recomendações.

  • Mercado de Ações: investimento de longo prazo
    O investimento em ações é de longo prazo, no mínimo 5 (cinco) anos. As estatísticas mostram que o investimento a longo prazo em uma carteira selecionada de ações é bastante rentável. Portanto, não se preocupe com o dia-a-dia da bolsa: subiu, caiu, ficou estável, etc. Quem atua no curto prazo são os “profissionais de mercado”. Isto não quer dizer que a sua carteira de ações deva ficar parada. Cuide dela com zelo. Faça movimentos (compra e/ou venda) nos momentos adequados. Às vezes, uma ação que já lhe deu grande lucro deve ser trocada por outra com perspectivas melhores. Nessas ocasiões é até admissível deixar de ganhar um pouco.

  • Conheça seu limite
    Não invista em ações dinheiro que irá precisar em curto prazo. Como o mercado de ações oscila, poderá estar em baixa no momento em que você precisar sair, vendendo suas ações.

  • Diversifique sua carteira
    Não aplique seu dinheiro em uma só ação, nem compre grande quantidade de uma mesma ação. Diversifique suas aplicações, montando uma carteira composta por diversas ações. Traduzindo: “não coloque todos os ovos em uma mesma cesta”. Siga este ensinamento, um dos mais sábios em se tratando de investimento em ações.

  • Não confie em tudo que ouve
    Não invista em ações com base em boatos, rumores, fofocas, etc. Investir em ações com base nisso pode levá-lo a fazer um péssimo investimento. Faça a seguinte pergunta a si mesmo: se essa informação é tão boa, por que me está sendo dada? Não existe caridade no mercado. Quem lhe deu a informação pode, por exemplo, estar querendo vender as ações que lhe indicou.

  • Conheça as empresas nas quais quer investir
    Procure obter o máximo possível de informações sobre as empresas em cujas ações você pretende investir. Ouça a opinião de especialistas, principalmente os da corretora da qual você é cliente.

  • Não se apresse
    Se você deixa para entrar no mercado de ações em épocas de grandes altas, tenha cuidado. Não permita que o seu entusiasmo prevaleça sobre a razão. Não seja apressado.

  • Não faça empréstimos para investir
    Não tome emprestado dinheiro para investir em ações, principalmente esperando obter grandes lucros, pois isto pode não acontecer. Se na hora de pagar o empréstimo o mercado estiver em baixa você terá um duplo prejuízo. Só invista em ações dinheiro que estiver disponível para isso e que não seja necessário no curto prazo.

  • “Efeito Manada”
    Não se esqueça de que grandes oscilações do mercado são provocadas por diversos motivos, inclusive psicológicos, devido à instabilidade emocional do investidor. Evite o “efeito manada”: todo mundo querendo comprar ou vender ao mesmo tempo.

  • Consulte um especialista
    O profissional que lhe atende na corretora da qual você é cliente é a melhor pessoa para orientá-lo. Consulte-o sempre que achar necessário. Ele saberá esclarecer suas dúvidas e lhe dar informações. Caso não saiba, ele o encaminhará a quem, na corretora, estiver apto a isto. A atividade de consultor de investimentos é regulamentada e exige credenciamento específico perante a CVM.


No investimento em ações

A realização de empréstimo de ações como tomador dos ativos e posterior venda das ações alugadas é uma estratégia que envolve um elevado grau de risco, já que o investidor tomador do empréstimo será obrigado a adquirir as ações no mercado à vista para entregá-las, na data prevista, ao doador. Portanto, caso o preço das ações suba, o tomador do empréstimo estará incorrendo em prejuízo, que aumentará de acordo com a valorização da cotação a vista. Por este motivo, a Bolsa exigirá o depósito de garantias, que limitem os prejuízos das partes envolvidas na operação. Deste modo, o investidor que pretende alugar ações deve estar ciente que as perdas neste tipo de operação poderão superar os valores depositados em garantia, o obrigando a depositar mais recursos para zerar o saldo devedor.


Nas operações com opções
  • Risco do Titular (Comprador) da Opção de Compra

    O risco do titular de uma opção está limitado ao valor pago pelas opções (o prêmio). No entanto, é necessário que o investidor esteja consciente de que ele poderá perder até a totalidade de seu investimento, se o comportamento do preço a vista, após a aquisição das opções e até o seu vencimento, não for favorável à sua posição (as opções são válidas apenas por determinado período, ao final do qual expiram).

    Explicando melhor, no caso das opções de compra, se o titular permanecer de posse da opção até o vencimento e, nessa data, o preço a vista da ação estiver abaixo do preço de exercício, ele não a exercerá (não seria vantajoso comprar as ações por um preço maior do que o do mercado), nem tampouco conseguirá transferi-la para outro investidor. No jargão do mercado, a opção terá "virado pó" e o investidor terá perdido integralmente a quantia que gastou para adquiri-la.

  • Opções de Compra que "Viram Pó"

    Se no vencimento das opções de compra o preço à vista do papel for inferior ao seu preço de exercício, não será vantajoso para o investidor que a possui (o titular) exercê-la. Como as opções expiram (perdem sua validade) na data de vencimento, elas também não terão qualquer valor de negociação, pois não existirão investidores interessados em comprá-las.

    No jargão de mercado, terão "virado pó". Para o titular das opções de compra nessa condição, isso significa que ele perdeu integralmente o investimento que fez para adquiri-las (o prêmio pago).

  • Risco na Venda a Descoberto (Lançamento de Opções de Compra)

    O lançamento de opções de compra a descoberto, ou seja, o recebimento de uma quantia em dinheiro (o prêmio) para assumir o compromisso de vender ações, que o investidor não possui, é uma estratégia que envolve um elevado grau de risco.

    Explicando melhor, o titular dessa opção (o investidor que pagou o prêmio para o lançador assumir o compromisso) somente vai exercê-la se isso for interessante para ele, ou seja, se o preço a vista do papel for superior ao preço de exercício da opção. Para o lançador, isso significa que ele será obrigado a adquirir as ações no mercado à vista para entregá-las pelo preço de exercício. A partir do momento em que a diferença entre o preço a vista e o de exercício for maior que o prêmio recebido, o lançador estará incorrendo em prejuízo, que aumentará de acordo com a valorização da cotação a vista.

    Outro aspecto a ser considerado nessa estratégia é que, durante toda a vigência de sua posição, o lançador descoberto estará obrigado a depositar garantias para cobrir os prejuízos potenciais da operação, cujo valor é calculado diariamente.

  • Prazo de Expiração das Opções

    É importante que o investidor que adquiriu uma opção (o titular) esteja consciente de que seu direito de exercê-la é valido apenas durante seu período de vigência. Após a data de vencimento, a opção expira, perdendo totalmente sua validade.

    Outro ponto importante a destacar é que na BM&FBOVESPA o exercício da opção não é automático, ele deve ser solicitado pelo titular da opção.

    Isso significa que, mesmo nos casos em que o exercício é claramente vantajoso para o titular, ele somente ocorrerá se for comandado pela CORRETORA, atendendo a instruções recebidas do titular. O pedido de exercício pode ser transmitido pelo investidor a CORRETORA. através de "e-mail", telefone, fax ou outro meio previamente acertado entre ambos.

    Na hipótese de um titular, nessas condições, deixar de solicitar o exercício, a opção vai expirar e o investidor, além de não ter se aproveitado de uma situação vantajosa, ainda perderá integralmente o prêmio pago quando da aquisição das opções.


Relacionamento com a Corretora
  • Conheça as diferentes corretoras
    Existem muitas corretoras autorizadas a operar na Bolsa de Valores de São Paulo (BOVESPA). Procure a que melhor se encaixa no seu perfil como investidor. Cada corretora é obrigada a divulgar a sua “Política de Atuação”, isto é como ela se relacionará com seus clientes. Com base nisso, faça sua escolha.

  • Atenção ao cadastro
    Para se tornar cliente de uma corretora, o investidor deverá preencher uma Ficha Cadastral e apresentar diversos documentos. Leia a ficha com atenção, antes de assiná-la. Ela não é um simples cadastro. É muito mais que isso. Nessa mesma ficha, o investidor faz uma série de declarações e concede algumas autorizações para a corretora. Qualquer alteração nessa ficha somente pode ser feita mediante pedido formal do investidor. Mantenha seus dados cadastrais permanentemente atualizados, bem como atenda aos pedidos feitos pela corretora para atualizá-los. A corretora deve atualizar o cadastro de seus clientes periodicamente. A corretora tem o dever de checar junto às fontes que entenda necessárias as informações prestadas pelos clientes.

  • Mantenha as informações atualizadas
    Para o endereço declarado pelo investidor serão enviados os documentos emitidos pela corretora, pela BOVESPA e pela Cia. Brasileira de Liquidação e Custódia (CBLC), que faz a liquidação das operações realizadas na BOVESPA e mantém o serviço de custódia de ações. Caso haja devolução de correspondência em virtude de endereço errado, a corretora pode bloquear a conta do cliente, tendo, também, o direito de pedir que o cliente deixe de operar por seu intermédio.
  • • O principal documento enviado pela BOVESPA ao investidor é o ANA – Aviso de Negociação de Ações, onde são discriminadas todas as operações que ele realizou em determinado período por sua corretora. Se operar por mais de uma corretora, o investidor receberá um ANA para cada uma delas. Leia sempre este documento com muita atenção e, em caso de dúvida procure a sua corretora, a BOVESPA ou a BSM; e

    •  O principal documento enviado pela CBLC ao investidor é o Extrato Mensal de Custódia, onde são discriminadas todas as movimentações que ele realizou no mês anterior, tais como ações que entraram em virtude de compra, que saíram em função de venda, dividendos recebidos, etc. Se operar por mais de uma corretora, o investidor receberá um extrato para cada uma delas. Leia sempre este documento com muita atenção e, em caso de dúvida procure a sua corretora, a BOVESPA ou a BSM.

  • Limite de Investimentos
    Preencha com bastante cuidado o documento onde irá declarar a sua situação financeira e patrimonial e o nível de seus rendimentos. Com base nessas informações, a corretora irá lhe dar um limite para operar, compatível com as informações que o investidor prestou. Este limite pode ser alterado por iniciativa do investidor. Só ultrapasse o limite caso haja justificativa para tanto. Caso contrário, pode gerar suspeita de “lavagem de dinheiro” e a corretora deve, por força de lei, denunciar o investidor à Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

  • Senha do Home Broker
    Caso o investidor resolva operar via o Home Broker da corretora, meio eletrônico por meio do qual o próprio investidor envia, à corretora, suas ordens de compra e/ou venda de ações, ele receberá uma senha para poder fazer isto. Mantenha a senha em total segurança, não a revelando nem emprestando para terceiros. Trate-a com o mesmo cuidado com que você trata a senha do seu banco.

  • Transferência de valores
    Somente envie dinheiro diretamente para a sua corretora. O dinheiro deve ser próprio, não podendo ser de terceiros. Faça isto por meio de depósito bancário identificado, cheque nominal (cruzado e intransferível), TED ou DOC. Consulte a corretora para saber o melhor meio para enviar dinheiro a ela. Confirme para a corretora o envio do dinheiro. Da mesma forma, só receba dinheiro da sua corretora pelos mesmos meios. Se o valor entregue à corretora for incompatível com o perfil do cliente, a corretora deverá recusá-lo, a não ser que seja apresentada pelo investidor a devida justificativa e a corretora a aceite.

  • Inadimplência
    Nenhum cliente pode permanecer com saldo devedor perante a corretora, ressalvado o previsto na Instrução CVM nº 51/1986. Eventual saldo devedor poderá ocasionar o bloqueio da conta do cliente, até sua regularização.
    A corretora pode comunicar à BM&FBOVESPA o nome do cliente que estiver inadimplente perante ela. A BM&FBOVESPA, por sua vez, enviará esta comunicação para as demais corretoras.

  • Sem vínculos
    Um aviso final: nenhuma corretora está obrigada a aceitar quem quer que seja como cliente. Nenhum cliente em dia com suas obrigações pode ser obrigado a permanecer como cliente de qualquer corretora. O relacionamento cliente/corretora ou corretora/cliente pode ser encerrado a qualquer tempo, bastando, para tanto, o cumprimento das obrigações ainda pendentes de parte a parte.

  • Prazo de liquidação
    O cliente que comprou uma ação hoje e quer vendê-la amanhã deve estar ciente que esta decisão tem um risco: a operação de compra pode não ser liquidada, por ter sido cancelada por decisão da BOVESPA ou ter caído em recompra, devido ao vendedor não ter entregue as ações. Ocorrendo uma dessas hipóteses, a venda feita pelo cliente não será liquidada, gerando problemas para si. Para sua maior segurança, faça a venda da posição após decorrido o prazo normal de liquidação da operação.

Riscos nas operações nos mercados futuros
  • Lembre-se dos riscos
    Apesar de o Home Broker permitir a realização de negócios apenas dentro dos limites de risco impostos pelo total de recursos previamente depositados como margem de garantia e dos cuidados eventualmente adotados pelo próprio investidor em sua atuação nos mercados de liquidação futura (derivativos), suas operações, por sua própria natureza, estarão sempre sujeitas à flutuação de mercado e aos efeitos de eventos, inclusive, mas não limitados, àqueles de caráter político, econômico ou financeiro. É bom ter em mente que, dada a natureza volátil dos ativos negociados em mercado de derivativos, as posições nele assumidas podem significar perdas expressivas para o investidor, inclusive total, ou ainda a ocorrência de patrimônio negativo. Na última hipótese, os investidores são chamados a aportar recursos adicionais para cobertura da exposição ao risco e para liquidação da posição. .

  • Ressaltamos também que a duração do investimento no mercado futuro deve ser sempre compatível com a estratégia operacional adotada pelo investidor.
Margens e Garantias

Ao manter uma posição em aberto no mercado futuro, o investidor terá que alocar garantias para cobrir suas operações. Essas garantias devem ser depositadas para os segmentos BOVESPA e BM&F até às 12:15 hrs e 12:45hrs respectivamente.

Após estes horários o cliente será debitado em sua Conta Corrente.

O depósito de Garantias na Clearing de Derivativos deve ser efetuado em espécie podendo ser substituído pelo depósito de outros ativos / instrumentos, a critério da BM&FBOVESPA e da SOCOPA. O rol de ativos passíveis de aceitação em substituição à moeda composto por:

• Títulos públicos federais nacionais;
• Títulos privados nacionais;
• Ouro ativo financeiro;
• Ações de empresas listadas na Bovespa e custodiadas na CBLC;
• Cotas de fundos de investimento selecionados;
• Cotas de ETFs e ações de empresas listadas na Bovespa e custodiadas na CBLC;
• Cartas de fiança bancária;
• Títulos de emissão do Tesouro norte americano;
• Outros ativos ou instrumentos financeiros.


Para solicitar o depósito ou transferência de garantias, o investidor deve entrar em contato com o Depto. de Relacionamento com o Cliente, através do telefone 0800 7297272. No caso de clientes que operam via mesa de operações, entrar em contato com a área de custódia por meio do telefone (11) 3299-2149 até o horário limite acima mencionado.”

A SOCOPA se reserva ao direito de, a seu critério, efetuar a transferência de ativos do cliente para a carteira de garantias para evitar/minimizar as chamadas de margem.

 
Login   Senha   [Esqueci minha senha]                   | Central de Relacionamento 0800 729 7272